O Mundo e as Cores


É incrivelmente maravilhoso o espectro cromático. Nele encontramos a pureza das cores como em um arco-íris.

Desde o início da história do homem ele vem tentando descobrir o que é e de onde se originam a matiz, o tom e a intensidade da cor. Na pré-história, o homem sentindo necessidade de colorir o seu mundo rupreste, tateou entre pedras, sangue e plantas em busca de reproduzir as cores que vivenciava.

De lá para cá, outras civilizações mostraram o quanto o homem necessitava de cor em sua vida.

No Egito, a beleza era um dos fatores principais. Tonalidades variadas revestiam de beleza as mais remotas épocas, do azul do céu e das águas ao amarelo do ouro e do esplendor.

A maquiagem ganhou terreno fértil, principalmente na época de Cleópatra. E anos depois, os pintores sempre com a necessidade de reproduzir seu mundo, pesquisaram várias fórmulas para pintar as suas obras.

De afrescos, impastos, óleos variados, pigmentos e experimentos surgia a indústria de tintas e seus derivados.

Hoje usamos cor em praticamente tudo. De um simples lápis, às cores de eletrodomésticos, de chips de computadores às mais sofisticadas técnicas de coloração da indústria odontológica.

Então, percebemos ao estudar as cores, que este tema é extenso não só na sua biografia, como em suas químicas, reações e emoções. Sim, porque cor é emoção. Cor é vida!

E reproduzir emoção, vida, não é fácil. Exige muito estudo, dedicação, domínio e responsabilidade para associar seu uso com fatores especialmente importantes.

Sabendo qual cor usar, independente de sofrer variações de fonte de luz predominante, perda de intensidade e brilho, terão em suas mãos a mágica da cor, que com um raio de luz branco ao atravessar o prisma de cristal faz surgir as cores do arco-íris, as cores que dão a possibilidade de sonhar sem hesitação e com a grande certeza de estar contribuindo para o engrandecimento do mundo.

RAQUEL FAYAD

 

ENDEREÇO: